TOMADA DE POSIÇÃO DOS PROFESSORES E EDUCADORES PRESENTES, EM 16 DE ABRIL, JUNTO À ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA-Exigimos Respeito, Justiça e uma Carreira dignificada-Reclamação da candidatura eletrónica e Verbete do candidato-Divulgação das listas provisórias de admissão/ordenação e de exclusão aos Concursos Externo / Contratação Inicial / Reserva de Recrutamento-Concessão de Equiparação a Bolseiro sem vencimento e Não há Licença Sabática para 2019/2020-Governo insiste em não contar integralmente os 9A 4M 2D, o que o SIPPEB não aceita-Declaração de Tempos de Trabalho à Segurança Social Docentes contratados - Nota Informativa do IGeFE-Organizações sindicais de docentes recebidas na Comissão de Educação e Ciência-MOBILIDADE POR DOENÇA 2019/2020 - Abertura de Procedimento-PROGRESSÃO AOS 5.º E 7.º ESCALÕES - LISTAS DE 2019 - PORTARIA N.º 29/2018, DE 23 DE JANEIRO

SIPPEB exige início das negociações e convocará Concentração em Lisboa para o dia 24, se esta semana não receber convocatória

SIPPEB exige início das negociações e convocará Concentração em Lisboa para o dia 24, se esta semana não receber convocatória

NOTA À COMUNICAÇÃO SOCIAL

RECUPERAÇÃO INTEGRAL DO TEMPO DE SERVIÇO

SIPPEB exige início das negociações e convocará Concentração em Lisboa, para dia 24, se esta semana não receber convocatória

Decorre do artigo 17.º da Lei n.º 71/2018, de 31 de dezembro (Lei do Orçamento do Estado para 2019) a necessidade de se realizar um processo negocial para estabelecer o modo e o prazo de recuperar os 9 anos, 4 meses e 2 dias de serviço cumprido pelos docentes, mas que, até agora, não foram contabilizados.

Até hoje, porém, apesar de este ser um processo cuja urgência é reconhecida, a ponto de o governo ter pretendido realizá-lo mesmo antes da entrada em vigor do Orçamento do Estado para 2019, as organizações sindicais não receberam qualquer convocatória para a reunião que lhe dará início. Por essa razão, o SIPPEB enviou ao Primeiro-Ministro um ofício em que reclama que a convocatória lhe seja enviada até final da presente semana, isto é, até dia 18 de janeiro.

Neste ofício, do qual foi dado conhecimento aos ministros das Finanças e da Educação, o SIPPEB decidiu, ainda, manifestar o seu desagrado por declarações, tanto do Primeiro-Ministro, como de outros governantes, destinadas a condicionar o processo negocial, pondo em causa um direito inalienável dos professores, que é a consideração de todo o seu tempo de trabalho, como, aliás, prevê a já citada Lei do Orçamento do Estado para 2019.

Caso até dia 18 não seja convocada a primeira reunião negocial, que deverá ser marcada para data próxima, o SIPPEB convergirá com outras organizações sindicais na realização de uma Concentração de Professores no dia 24 de janeiro, quinta-feira, junto à Presidência do Conselho de Ministros.

A Direção

Carta ao Primeiro-Ministro

 

PORQUE NÓS, EDUCADORES E PROFESSORES, NÃO DESISTIMOS, NÃO DEIXAREMOS QUE APAGUEM O TRABALHO QUE DESENVOLVEMOS COM OS NOSSOS ALUNOS